RELATÓRIO ANUAL 2010
Demonstrações Financeiras

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS INDIVIDUAIS
(CONTROLADORA) E CONSOLIDADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009
(Valores expressos em milhares de reais)


7. ATIVOS BIOLÓGICOS

 
  CONTROLADORA CONSOLIDADO
31.12.10 31.12.09 01.01.09 31.12.10 31.12.09 01.01.09
Ativo biológico – gado  118.058  22.582  22.588  293.914  77.205  28.550
Ativo biológico – aves  -  -  -  218.346  86.606  96.621
Ativo biológico – suínos  -  -  -  180.780  41.685  51.113
Ativo biológico – corrente
 118.058
 22.582
 22.588
 693.040
 205.496
 176.284
             
Ativo biológico – gado  -  -  -  27.858  29.096  -
Ativo biológico – aves  -  -  -  220.430  92.671  73.217
Ativo biológico – suínos  -  -  -  29.266  17.381  1.150
Ativo biológico – não corrente
 -
 -
 -
 277.554
 139.148
 74.367
 
 118.058
 22.582
 22.588
 970.594
 344.644
 250.651


Os ativos biológicos da Companhia são compostos por animais vivos segregados entre as categorias: aves, suínos e bovinos. Os animais classificados nesse grupo são os destinados ao abate para produção de carne in natura e/ou produtos industrializados.

No tocante a aves e suínos, os mesmos são considerados imaturos até atingirem o peso adequado para abate. O processo de abate ocorre de forma sequencial em um curto período de tempo e, dessa forma, apenas os animais vivos transferidos para abate são classificados como maduros.

Na mensuração dos ativos biológicos (aves e suínos) ao valor justo a Companhia adotou o modelo do fluxo de caixa descontado, não identificando ajustes materiais. Nesse caso a Companhia entende que o valor justo dos ativos biológicos está substancialmente representado pelo custo de formação, haja vista o curto ciclo de vida dos animais.

Com relação a bovinos, tratam-se de animais mantidos em confinamento para engorda e abate, cujo ciclo de vida é em média de 3 anos. A Companhia realizou a valorização desses animais a valor justo, baseado no conceito "Mark to market – MtM", considerando as cotações da arroba do boi/vaca disponíveis no mercado, reconhecendo os efeitos destas valorizações diretamente no resultado.

Segue abaixo demonstrativo de movimentação do ativo biológico:
 
ATIVO BIOLÓGICO CORRENTE CONTROLADORA CONSOLIDADO
Saldo em 1o de janeiro de 2009  22.588  176.284
Aumento devido a aquisições  57.632  190.133
(-) Baixa para abate  (88.517)  (1.392.417)
Gastos com insumos para engorda  23.179  1.271.988
(-) Diminuição devido a vendas  -  (63.677)
Aumento líquido devido aos nascimentos (mortes)  (597)  10.370
Conversão de balanço  -  (1.520)
Ajuste a valor justo  8.297  14.335
Saldo em 31 de dezembro de 2009
 22.582
 205.496
Aumento devido a aquisições  159.124  628.997
(-) Baixa para abate  (111.010)  (3.052.312)
Gastos com insumos para engorda  46.738  3.066.168
(-) Diminuição devido a vendas  -  (117.735)
Aumento líquido devido aos nascimentos (mortes)  (517)  14.143
Reclassificação a ativo fixo  -  (18.305)
Conversão de balanço -  (2.353)
Ajuste a valor justo  1.141  48.766
Outros  -  (79.825)
Saldo em 31 de dezembro de 2010
 118.058
 693.040

 
ATIVO BIOLÓGICO NÃO CORRENTE CONTROLADORA CONSOLIDADO
Saldo em 1o de janeiro de 2009  -  74.367
Aumento devido a aquisições  -  99.196
(-) Baixa para abate  -  (48.305)
Gastos com insumos para engorda  -  58.427
(-) Diminuição devido a vendas  -  (9.893)
Aumento líquido devido aos nascimentos (mortes)  -  18.267
Amortização  -  (52.911)
Saldo em 31 de dezembro de 2009
 -
 139.148
Aumento devido a aquisições  -  252.160
(-) Baixa para abate  -  (239.895)
Gastos com insumos para engorda  -  301.230
(-) Diminuição devido a vendas  -  (48.492)
Amortização  -  (59.289)
Transferência entre circulante e não circulante  -  (70.249)
Conversão de balanço  -  2.941
Saldo em 31 de dezembro de 2010
 -
 277.554
topo
Produzido por: