RELATÓRIO ANUAL 2010
Demonstrações Financeiras

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS INDIVIDUAIS
(CONTROLADORA) E CONSOLIDADAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009
(Valores expressos em milhares de reais)


30. REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL – IMPAIRMENT

A Companhia avaliou os saldos do ativo do imobilizado e do ativo intangível com vida útil definida. Os ativos que têm uma vida útil indefinida, como o ágio por expectativa de rentabilidade futura, têm a recuperação do seu valor testada anualmente, independentemente de haver indicativos de perda de valor. Os testes compreenderam a preparação de laudos de avaliação das subsidiárias, devidamente elaborados por profissionais especializados, de forma a verificarmos o grau de recuperação desses ativos.

Na aplicação do teste de redução ao valor recuperável de ativos, o valor contábil de um ativo ou unidade geradora de caixa é comparado com o seu valor recuperável. O valor recuperável é o maior valor entre o valor líquido de venda de um ativo e seu valor em uso. Considerando-se as particularidades dos ativos da Companhia e suas controladas, o valor recuperável utilizado para avaliação do teste de redução ao valor recuperável é o valor em uso, exceto quando especificamente indicado.

Este valor de uso é estimado com base no valor presente de fluxos de caixa futuros, resultado das melhores estimativas da Companhia. Os fluxos de caixa, decorrentes do uso contínuo dos ativos relacionados, são ajustados pelos riscos específicos e utilizam a taxa de desconto, a qual resulta do Custo Médio Ponderado de Capital (WACC). As projeções de fluxo de caixa descontado levam em consideração premissas como: custo de capital, taxa de crescimento e ajustes aplicados aos fluxos em perpetuidade, metodologia para determinação de capital de giro, plano de investimentos e projeções econômico-financeiras de longo prazo.

Essas avaliações são efetuadas ao menor nível de ativos para os quais existam fluxos de caixa identificáveis. A reversão de perdas reconhecidas anteriormente é permitida, exceto com relação à redução no valor do ágio por expectativa de rentabilidade futura.

Para a determinação do valor recuperável de cada segmento de negócio, de acordo com o CPC 01, a Companhia utilizou o método de fluxo de caixa descontado, utilizando como base projeções econômico-financeiras de cada segmento. As projeções foram atualizadas levando em consideração as mudanças observadas no panorama econômico dos mercados de atuação da Companhia, bem como premissas de expectativa de resultado e históricos de rentabilidade de cada segmento. As taxas de descontos utilizadas variaram entre 8,9% a 11% a.a, dependendo de características específicas do negócio, dos países/continentes em que atua, e as taxas de crescimento de perpetuidade utilizadas para extrapolar as projeções além do horizonte de 10 anos variam de 3% a 4% ao ano em valores nominais.

As principais premissas para o período de 2011-2020 utilizadas no processo de avaliação foram:

  • Receita de vendas: crescimento diferenciado de volumes e de preço nas diferentes categorias de produtos nas Unidades Operacionais, considerando-se o investimento incremental para aumento de capacidade de abate/produção e/ou investimento de manutenção da infra-estrutura existente.
  • Custos e despesas: estimativa compatível com o desempenho histórico da Unidade Operacional, crescimento das receitas e incorpora ganhos de eficiência decorrentes de melhorias de processos e de sinergias geradas nas combinações de negócios.
  • Investimentos de capital: estimados considerando-se a manutenção da infra estrutura existente e investimento incremental para viabilizar novo potencial de oferta de produtos e consequente aumento de receitas.

Com base nos testes realizados, não há ativos registrados contabilmente por um valor superior àquele passível de ser recuperado por uso ou por venda.
topo
Produzido por: